terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Teaser Tuesday

O Teaser Tuesday de hoje é em clima de Oscar, com o livro "O Discurso do Rei", recentemente adaptado para o cinema e forte candidato para a premiação de domingo que vem.


No ano de 1936, a conservadora Família Real Britânica encontrava-se em uma situação nada confortável. O jovem monarca Eduardo VIII havia abdicado do trono por amor à americana divorciada Wallis Simpson. Em seu lugar, deveria assumir seu irmão, o inseguro e com problemas de fala Duque de York. Transformar o rapaz considerado inadequado para o trono no novo líder da nação parecia uma tarefa impossível. A solução veio de forma nada convencional. Ao invés da ajuda de um primeiro-ministro ou o arcebispo de Canteburry, seria o desconhecido e autodidata terapeuta vocal australiano Lionel Logue o responsável pela transformação do duque em George VI, um dos reis mais populares da Grã-Bretanha. Através de métodos considerados pouco ortodoxos, Logue ajudou o rei a adquirir a confiança necessária para liderar a Grã-Bretanha na Segunda Guerra Mundial. Para tanto, contou com a ajuda da esposa de George VI, a falecida rainha-mãe Elizabeth I, que não poupou esforços para reverter a reputação de seu marido. A história dessa inusitada aliança, que resultou em uma emocionante amizade, é contada agora em O Discurso Do Rei – Como Um Homem Salvou A Monarquia Britânica Com base nos diários e arquivos de Lionel Logue, os autores Peter Conradi e Mark Logue, neto do terapeuta, reconstroem a relação de surpreendente intimidade entre dois homens absolutamente díspares. 

Na verdade vou dar início a essa leitura hoje, então nada de trechos. Mas calma, pra compensar, essa semana tem post com a análise desse filme e de todos os outros candidatos à estatueta dourada de melhor filme do ano, já temos todas as nossas preferências definidas, inclusive.

Só Colin Firth na capa já anima qualquer leitura, né? Aviso pra vocês depois se valeu a pena mesmo.



2 comentários:

Kha disse...

O filme é maravilhoso, o livro deve ser também.

Uma curiosidade inútil sobre o filme (não sei se o livro se encaixa nesse tb): a rainha mãe Elizabeth (interpretada pela Helena Bohan Carter) pediu para que o filme sobre o seu marido (Colin Firth) fosse feito apenas depois que ela morresse.

Kamila disse...

The Duke of Iôque (sotaque britânico) ADORO
hauhauhauahua