quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Glee 2×11 - The Sue Sylvester Bowl Shuffle

Glee maltrata de tanta demora pra voltar, mas quando volta você tem certeza de que a espera valeu a pena. Mais uma vez o bullying sofrido pelo pessoal do Glee foi a base para desenvolver o episódio.

Começamos no melhor estilo, as cheerios ensaiando seu número mais elaborado ao som de California Gurls e... xingamentos da desapontada Sue. É triste quando sutiãs de fogo não são o suficiente para sua felicidade.

Os grandões do time de futebol resolveram que não vão aceitar os meninos do Glee no time, a não ser que desistam de cantar. Claro que foi o idiota do Karofsky quem começou a infernizar e fez o time perder, deixando a treinadora Bestie revoltada. Depois de mais confusão no vestiário e antes que Puck mostrasse o tik tok da Kesha na cara de alguém, foi todo mundo pro chuveiro.

Sue está em crise de Dexter, não consegue mais sentir nada. Depois de tantas vitórias, uma falta de criatividade tomou conta da nossa musa. A solução? Simples, canhão humano, minha gente! Problema é que Britt só vai aceitar se atirada quando one tree Hill for cancelada. Quem sabe em breve, né?

Bestie quer acabar com os atritos no time e Will acha que tem a solução pra isso: obrigar que o time participe do Glee e veja o quanto é legal. Com a voz, Rachel e Puck:


Ai, que homem... Pega ele, Rachel!

Enquanto isso as coisas só pioram pra Sue, que teve a permissão pra usar o canhão humano negada pela diretoria e tratou de expressar bem sua raiva, sobrou chute até pra os pesos dos atletas. Uma das cenas mais engraçadas do episódio

Como nada fica barato com ela, a treinadora resolveu que Will e Bestie vão pagar o pato e perder as cheerios, ficando sem componentes no Glee e sem Show do Intervalo no grande jogo, já que as regionais serão no mesmo dia. As meninas precisam escolher, ou são do Glee ou são da equipe de Sue.

Sem show do intervalo e sem cheerios pra torcer no jogo, Bestie e Will arrumam um jeito de resolver os dois problemas de uma forma só: Time e Glee cantando juntos no intervalo da partida. Que bom que a escolha não foi nenhuma música do Jorney, dessa vez o show será com thriller!

Quinn, Santana e Britt precisam decidir de que lado ficarão, ou é Glee ou é Sue. Acontece que ser parte das Cheerios representa demais para as meninas e sua reputação, afinal aquela escola vive de rótulos. É aí que Finn entra em ação e refresca a memória de Quinn sobre quem sempre esteve lá quando ela mais precisou: O Glee club, ao contrário de Sue. Como diria Jane, decisions, decisions....

Os ensaios para o show do intervalo vão com tudo e os meninos estão arrasando na performance zumbi.


Mas quando eles provam do próprio veneno e levam raspadinha na cara tudo vai por água abaixo. Os grandões preferem sair do time e perder o jogo mais importante de suas vidas a se apresentar na frente de toda a escola junto com o Glee.

Estão sentindo falta de algum nome? Sim, Kurt! Foi realmente um milagre que ele tenha aparecido tão pouco. Não que eu não o ame, mas Glee estava praticamente se resumindo apenas a ele nos últimos tempos, tava na hora de dar uma maneirada mesmo. Sua aparição se deu junto com os meninos da Dalton. A apresentação foi ótima, mas é sempre igual: Blaine canta, os outros fazem o coro por trás. É pior que o Vocal Adrenaline nos tempos de Jess, em que só ele cantava também. Pelo menos o povo do vocal dança, os meninos nem isso. Belo negócio Kurt fez, hein? Passou de segunda estrela do Glee a backing vocal de Blaine. Aff.


Mas não tem como ficar com raiva de Blaine, principalmente quando ele é quem da a idéia às meninas de se juntarem ao time de futebol e assim habilitar os meninos a jogarem a partida tão importante. Rachel, Mercedes e Tina entraram pra fazer número, mas a campeã de luta Greco romana Lauen é um reforço de peso (sem trocadilhos, juro) e vai entrar pra causar dor.

A intenção das meninas foi a melhor, mas não da pra ganhar sem o time completo. Se saírem todas vivas da partida já é lucro.

Finn então prova que é um verdadeiro líder e convoca Sam para assumir seu lugar no comando enquanto sai para convocar as cheerios para a apresentação do intervalo. Sue colocou Santana na base da pirâmide e obrigou Brit a aceitar ser lançada de um canhão humano, as meninas foram para o Glee sem remorsos.

Também no comando, Puck da uma dura nos meninos do time para que deixem de frescura e aceitem logo a condição da treinadora Bestie de se juntarem ao Glee na apresentação, não vale a pena perder o jogo de sua vida por conta de um orgulho idiota. Como Karofsky tem que convencer até a si próprio que não tem nada a ver com coisas que lembrem de longe o mundo gay, ele bate o pé, mas o resto do time está de volta e monstruosamente maquiados. Valeu a pena, porque a apresentação foi sensacional


Depois disso não tinha time pra vencer eles fantasiados desse jeito, muito menos ameaçando comer cérebros, né? Vitória do Mckinley High.

Sue, claro, perdeu o campeonato, algo com que ela não está nada acostumada. De quebra ainda teve que amargar uma entrevista comentando sua derrota. Alguma dúvida de que isso não vai ficar barato? Não tenho nenhuma.

Na cena final tive que agüentar um momento replay com Finn e Quinn. ME POUPE, viu? O cara não perdoa Rachel pq beijou Puck, mas perdoar Quinn, que engravidou dele, tudo bem, né? AFF! Bem que eu já tinha reclamado disso aqui quando era só um rumor. 

Alguém torcendo pela volta do casal?

2 comentários:

Kha disse...

Sabia que vc ia ficar revoltada com o casal Quinn e Finn ahahahaha

Finn é mto incediso... uma hora e e se veste de lady gaga, outra hora ele nao defende kurt... uma hora ele é o lider da equipe, outra hora ele foge da responsabilidade

ta na hora de decidirem oq ele é!

Kamila disse...

Gostei da treinadora cantandinho. hauahuahua